Saiba como está hoje a Menina Maria e sua batalha contra o câncer de mama

Há um tempo atrás, trouxemos a Menina Maria para falar aqui como vinha sendo sua batalha contra o câncer de mama, que, na época, foi recém descoberto. Foi uma entrevista muito emocionante, e cheia de inspiração e superação.

Quase um ano depois, resolvemos chamá-la novamente para mais um bate-papo, dessa vez para falar sobre o avanço do tratamento, e o que mudou, efetivamente, de lá para cá. Confira:

Como vem sendo a evolução do tratamento do câncer de mama do ano passado para cá?

“Meu tratamento já está bem avançado. Desde a descoberta foram 16 quimioterapias, 15 radioterapias, uma cirurgia e neste momento estou fazendo quimioterapia oral. O tratamento de câncer é algo que se estende por muito tempo, porque mesmo quem não faz o uso das quimioterapias orais ou mesmo das imunoterapias, tem que fazer acompanhamento sempre.

Clinicamente falando, estou ótima, me recuperando bem de todo o baque que esse tratamento me deu.

Voltei a treinar jiu-jitsu, porém, com algumas ressalvas. Ainda estou com cateter, e minhas mãos e pés estão bem sensíveis ainda , então faço aquecimento e treino bastante posição.

Minha rotina agora inclui musculação como parte do tratamento e alguns cursos de aperfeiçoamento das tranças pra poder melhor atender aos nossos atletas .

Meus planos incluem levar todo meu aprendizado de vida e ajudar outras pessoas. Estamos com um projeto bacana chamado A CASA MENINA MARIA, onde vamos ensinar jiu-jitsu pra mulheres vítimas de violência, oficinas de tranças pra mulheres egressas do sistema penitenciário e rodas de conversa pra mulheres com câncer.

Estamos trabalhando pra que comece a funcionar logo!

O que você diria para a Maria que recém descobriu o câncer de mama?

Eu diria: “Maria, vai ser pedreira pela frente, mas nada que você não possa suportar. Foque nas coisas boas, porque vai vir muita coisa ruim, mas vai vim tanta coisa boa através disso que você nem vai lembrar das ruins. Então você vai conhecer muita gente, você vai ajudar muita gente, você vai ser ajudada, você vai dar mais valor as pessoas.

Muitas pessoas vão sair da sua vida, mas fica tranquila, porque é para o seu bem. Coisas que você não enxerga hoje, você vai enxergar lá na frente e vai passar por caminhos que você nunca imaginou. E então você vai ser grata por tudo isso. Então segura firme, segura firme e só vai. Tudo passa!”

Quando ela fala que “muita coisa boa virá através disso”, com certeza ela fala do movimento que se criou em torno da Menina Maria e sua cura contra o câncer. Houveram diversos seminários para arrecadar recursos para o seu tratamento, encontros, vaquinhas e muito mais. A Menina Maria virou um símbolo dentro do jiu-jitsu, de superação, resiliência, paciência e sobretudo, fé. Além disso, ela escolheu levar seu tratamento com alegria, e apesar das dores e dos dias ruins, era possível vê-la nos stories boa parte do tempo rindo, dançando e fazendo piada com suas amigas.

Maria, saiba que você é uma inspiração para muitas mulheres, que estão passando câncer de mama ou não. Sua alegria e fé nos contagia e com certeza nos faz ter esperança em dias melhores. Estamos muito felizes pela evolução do seu tratamento e estamos esperando a sua mensagem dizendo que está 100% curada ❤️

cancer-de-mama

Para quem não sabe, o câncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em países desenvolvidos. Cerca de 2,3 milhões de casos novos de câncer de mama foram estimados para o ano de 2020 em todo o mundo, o que representa cerca de 24,5% de todos os tipos de neoplasias diagnosticadas nas mulheres. As taxas de incidência variam entre as diferentes regiões do planeta, com as maiores taxas nos países desenvolvidos. (Dados do INCA)

Por isso, fica a mensagem: cuide-se, faça seus exames ginecológicos de rotina sempre. Cuidar da saúde das mamas é um ato de amor!

Posts relacionados

Entrevista com Quézia Braga

Hoje conversamos com a Quezia Braga, faixa marrom da Atos Weatherford, TX. Ela nos contou hoje um pouco sobre como conheceu o jiu-jitsu, como é