Violência doméstica: a pandemia brasileira

O Brasil é o 5º país no ranking da violência contra a mulher. É uma estatística oficial da OMS e infelizmente real.

Em tempos de coronavírus e quarentena, nervos à flor da pele, desemprego, ansiedade, estresse, fome, e quantas tragédias mais quisermos enumerar aqui, os números da violência só crescem. Segundo a Secretaria Nacional de Politicas para Mulheres, as denúncias aumentaram 17% após o decreto de quarentena para conter o avanço do vírus.

17% a mais é o número de denúncias, fora os não informados. Num país em que há casos em que (só no ano de 2019) a cada 10 vítimas de feminicídio, 7 foram mortas dentro de suas casas, é no mínimo alarmante.

Agora infelizmente a situação se agrava. Se a vítima vive com o agressor, está mais próxima ainda com o confinamento. O medo só aumenta!

O Estado é responsável por manter a segurança dessas mulheres, mas existem outros projetos para ajudar nessa tarefa. O canal online criado pela Promotora Gabriela Manssur, o projeto Justiceiras, já conta com 700 voluntárias de vários campos de atuação: psicólogas, médicas, assistentes sociais, advogadas, que oferecem orientação para mulheres em situação de violência.

O Projeto criou um canal via Whatsapp que consegue orientar as vítimas a agirem sem sair de casa e com toda a segurança. Uma pandemia de saúde não pode justificar o aumento da violência e criminalidade.

Foi criado um formulário com a intenção de ajudar essas mulheres. “Se você está em um relacionamento abusivo e/ou está passando por alguma situação de violência física, psicológica, moral , sexual e patrimonial, a FORÇA-TAREFA JUSTICEIRAS foi criada com a missão de te orientar GRATUITAMENTE E ON-LINE nas áreas: JURÍDICA, PSICOLÓGICA, ASSISTENCIAL, MÉDICA E REDE DE APOIO E ACOLHIMENTO.” Clique aqui para acessar e divulgue.

Outros canais:

Delegacias da Mulher abertas 24h (São Paulo):

  • 1º Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher – Centro – Rua Bittencourt Rodrigues, 200, Parque Dom Pedro – (11) 3241-3328| 3241-2263
  • 2º Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher – Sul – Avenida Onze de Junho, 89, Vila Clementino – (11) 5084-2579 | (11) 5081-5204
  • 4º Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher – Norte – Avenida Itaberaba, 731, 1º andar, Freguesia do Ó – (11) 3976-2908
  • 5º Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher – Leste – Rua Dr. Corinto Baldoíno Costa, 400 – Parque São Jorge | (11) 2293-3816 | (11) 2941-9770
  • 6º Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher – Sul – Rua Sargento Manoel Barbosa da Silva, 115, 2o andar – Campo Grande | (11) 5521-6068
  • 7º Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher – Leste – Rua Sábbado D’Ângelo, 64-A, Itaquera – (11) 2071-3488 | (11) 2071-4707
  • 8º Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher – Leste – Avenida Osvaldo Valle Cordeiro, 190, Jardim Marília – (11) 2742-1701
  • 2ª DDM Campinas – Rua Ferdinando Panattoni, 590 – Jd. Pauliceia
  • DDM Santos – Rua Dr. Assis Correa, 50 – Altox – Gonzaga
  • DDM Sorocaba – Rua Caracas, 846 – Parque Campolim
  • Casa da Mulher Brasileira (Prefeitura de SP) aberta 24h
  • Disque 180
  • 190 nas situações de flagrante

Posts relacionados

jiu-jitsu-nos-eua

Jiu jitsu nos eua: meu olhar sobre as diferenças do esporte entre Brasil e US

Jiu-Jitsu nos EUA, Jiu-Jitsu No-Gi, competições de Jiu-Jitsu, academias de Jiu-Jitsu nos EUA, Jiu-Jitsu sem kimono, eventos de Jiu-Jitsu nos EUA, técnicas de Jiu-Jitsu, treinos de Jiu-Jitsu nos EUA, Jiu-Jitsu para crianças nos EUA, Jiu-Jitsu feminino nos EUA, campeonatos de Jiu-Jitsu, open mats de Jiu-Jitsu, leg locks no Jiu-Jitsu, chaves de pé Jiu-Jitsu, BJJ nos EUA, Jiu-Jitsu brasileiro nos EUA, faixas de Jiu-Jitsu, professores de Jiu-Jitsu nos EUA, treinos pagos de Jiu-Jitsu, grappling nos EUA, BJJ No-Gi, arte marcial nos EUA, Jiu-Jitsu lifestyle, cultura do Jiu-Jitsu, Jiu-Jitsu internacional, lutas de Jiu-Jitsu, Jiu-Jitsu para iniciantes, treinamento de Jiu-Jitsu, Jiu-Jitsu e MMA, adaptações no Jiu-Jitsu, Jiu-Jitsu e saúde, preparação física Jiu-Jitsu, técnicas avançadas de Jiu-Jitsu, Jiu-Jitsu e defesa pessoal, seminários de Jiu-Jitsu nos EUA, Jiu-Jitsu e fitness, Jiu-Jitsu para profissionais, Jiu-Jitsu competitivo, gi vs no-gi, escolas de Jiu-Jitsu nos EUA, Jiu-Jitsu para adultos, Jiu-Jitsu para seniores, história do Jiu-Jitsu nos EUA, crescimento do Jiu-Jitsu, treinadores de Jiu-Jitsu nos EUA, campeões de Jiu-Jitsu dos EUA, técnicas proibidas no Jiu-Jitsu, giros de Jiu-Jitsu, evolução do Jiu-Jitsu nos EUA