O coronavírus e a comunidade do jiu-jitsu


*Por Juliana Feijó e David Torres

O novo coronavírus vem afetando a rotina das pessoas de uma maneira brutal. Atualmente, já estamos em estado de pandemia e segundo a OMS, são 184.976 casos confirmados e 7.529 mortes em decorrência do novo Covid-19 em 159 países e territórios, atualizados até o momento.

A China como enorme potência, não seria de se admirar que ela mesma já tivesse previsto o que iria acontecer, conforme o trecho deste artigo dos pesquisadores Yi Fan, Kai Zhao, Zheng-Li Shi e Peng Zhou:

“Nas últimas duas décadas, três coronavírus zoonóticos foram identificados como a causa de surtos de doenças em larga escala – Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), Síndrome Respiratória no Oriente Médio (MERS) e Síndrome da Diarréia Aguda Suína (SADS). O SARS e o MERS surgiram em 2003 e 2012, respectivamente, e causaram uma pandemia mundial que matou milhares de vidas humanas, enquanto a SADS atingiu a indústria suína em 2017. Eles têm características comuns, como todos altamente patogênicos para humanos ou animais, agentes originários de morcegos, e dois deles originários da China. Portanto, é altamente provável que futuros surtos de coronavírus tipo SARS ou MERS se originem de morcegos, e há uma probabilidade maior de que isso ocorra na China. Portanto, a investigação de coronavírus de morcego se torna uma questão urgente para a detecção de sinais de alerta precoce, o que minimiza o impacto de futuros surtos na China. O objetivo da revisão é resumir o conhecimento atual sobre diversidade viral, hospedeiros de reservatórios e as distribuições geográficas de coronavírus de morcego na China e, eventualmente, pretendemos prever pontos críticos de vírus e seu potencial de transmissão entre espécies.”

Nesta visão, medidas estão sendo tomadas para que um menor número de pessoas seja acometida pelo vírus. A população brasileira e também a comunidade dentro do jiu-jitsu disparam alarmes do quão importante é esta conscientização.

Na última coletiva que aconteceu no dia 18 de março em São Paulo, o estado mais atingido do Brasil até o momento, o governador João Doria anunciou medidas preventivas de saúde como o aumento de leitos em hospitais em um número de 1.049 querendo chegar em 1.400, mostrou-se preocupado com a higienização dos meios de transporte e alertou: “estamos atuando na prevenção e não na obrigação.” Academias e shoppings foram alertados ao fechamento.

A Campanha Nacional  de Vacinação Contra a Gripe de 2020 começará a partir de 23 de março, serão priorizados idosos e trabalhadores da área de saúde. Com o passar dos dias, outros grupos do público-alvo terão direito às doses. Os indivíduos com mais de 60 anos foram para o primeiro lugar da fila, pois estudos mostram que estariam mais suscetíveis às complicações do novo coronavírus, mas atenção, a vacina não evita o ataque do Sars-Cov-2, mas ajuda a diferenciar do vírus influenza.

Ainda não sabemos o que o Covid-19 pode nos trazer no futuro, mas sabemos que ele tem preferência por homens e segundo estudos de casos que já ocorreram na China, por homens mais velhos: “tem maior probabilidade de afetar homens mais velhos com algum tipo de doença prévia.” Mas como o surto é recente, ainda não há pesquisas que demonstrem isso de forma definitiva.

Coronavírus e jiu-jitsu

Assim como muitos setores como a economia, cultura, educação, transporte e a política, o esporte também foi atingido, incluindo o nosso jiu-jitsu. O calendário de competições onde podemos citar Opens, Pan, Campeonato Brasileiro, Mundial e outros regionais foram cancelados/adiados para evitarem aglomerações de pessoas e assim a proliferação do vírus. Visando, assim, maior controle e resguardo de todos os envolvidos, pois a maior preocupação agora é a saúde de todos.

É necessário neste momento que sejamos responsáveis e que respeitemos a quarentena solicitada pelos órgãos públicos de saúde. Que sejamos solidários com as pessoas que são socialmente vulneráveis, como pessoas que trabalham informalmente, populações de rua e trabalhadores que ainda não foram liberados de suas funções. Claro, que não esqueçamos do pagamento da mensalidade dos nossos professores de jiu-jitsu que dependem destas para se manter. Quem não tiver condição de manter a mensalidade porque também não está recebendo salário fixo, que converse com seus professores para que todos juntos tentem entender a melhor forma de se ajudar.

O que fazer se não dá para treinar? Durante este período vale se manter atualizado sobre informações a respeito do Covid-19, assistir vídeos sobre posições e campeonatos, se recuperar de alguma possível lesão, ler matérias sobre jiu-jitsu ou também sobre treinamento, praticar exercícios funcionais em casa e manter contato com seus amigos pela internet.

Não esquecendo de alguns procedimentos preventivos se possivelmente sair à rua: não entrar em casa com calçados que tiveram contato com o chão da rua; lavar rapidamente as roupas assim que chegar; manter as mãos limpas lavando com sabão ou higienizando com álcool gel ou na falta; manter os kimonos limpos e protegidos; tomar banhos ao retornar da rua. Se for necessário ir ao mercado, não ficar a menos de um metro outro ser humano; nunca levar sua mão à boca, ao olho ou nariz enquanto estiver na rua; higienize os alimentos ao chegar em casa; passar álcool 70 no seu celular uma vez por dia.

E lembre-se, com sintomas parecidos com a gripe normal, o coronavírus nos demonstra um novo alerta para usarmos em nossa vida diária, cuidados esses que sempre devem ser tomados, mas que às vezes nos passam despercebidos. Mas diante de alertas como esse ganham tamanha importância.

“Não é função do Estado proteger o cidadão do mal que causa a si mesmo, mas é seu dever defendê-lo do que possam fazer contra ele.”

Dráuzio Varella

Qual sua reação

Curtir Curtir
0
Curtir
Amei Amei
4
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O coronavírus e a comunidade do jiu-jitsu

log in

reset password

Voltar para
log in