Sobre a mídia e eventos atuais no jiu-jitsu


Tem um tempo que estou pra fazer esse texto, mas nunca conseguia. Bom, agora vai!

Tenho observado que o jiu-jitsu competitivo (sobretudo o masculino) tem virado, em alguns casos, um show de provocações e indiretas, fazendo com que o burburinho envolvido vendam as lutas casadas.

Atletas se provocando no Instagram, se atacando, uns desafiando aos outros, e, pra mim, isso vai contra todos os princípios do nosso esporte, que pregam o respeito, a ética, a disciplina etc.

E esse tipo de atitude, infelizmente, não é incentivada somente por atletas, mas por eventos e mídias do esporte, como Bjj Stars e Flograppling.

Flograppling além de ser absurdamente parcial na divulgação das lutas (podemos ver um certo favoritismo entre americanos) parece ter um certo apreço em ver o “circo pegando fogo” tanto nas matérias no site, quanto em seus posts no Instagram. Podemos ver atletas por lá se desafiando em forma de vídeos e postagens que eles fazem. Fora isso, tantos atletas bons, que deram show no Europeu (inclusive muitas lutas femininas mal apareceram no Instagram deles) passaram despercebidos. Uma pena…

E aí eu te pergunto: até onde isso é benéfico para o nosso esporte? Esse clima de rivalidade e provocação, será que pode ensinar algo de positivo pra quem tá entrando? Será que esse comportamento pode ajudar a mudar a visão que muitas pessoas tem que o nosso esporte é uma modalidade violenta? O que esse tipo de comportamento pode ensinar às nossas crianças? Que tipo de exemplo esses atletas, eventos e canais de mídia estão sendo para a nova geração?

O que se esperar de um evento onde houve uma briga sem tamanho, onde o atleta Erberth, que durante sua luta com Felipe Pena (Preguiça) saiu do tatame para trocar socos e chutes com pessoas da plateia?  Você iria a esse evento novamente, sabendo que o mesmo vai estar presente na próxima edição? Acharia seguro? Eu acredito que não, e muitos amigos que tem família, filhos, também disseram que não.

Eu espero de coração que essa visão mude, que o dinheiro (porque esse trash talk infelizmente vende) não fale mais alto que os princípios que aprendemos no esporte. É tão bonito, tão digno ver um atleta levantando o outro após um combate, se cumprimentando e se respeitando como pessoas que aprenderam os princípios da arte suave.

No feminino já aconteceu casos como esse? Já sim, não vou negar. Mas é em escala muito menor. Se você é atleta, não se deixe influenciar por esse tipo de atitude. Se você é juvenil, ou em qualquer idade, não deixe que esse clima de provocações façam de você um atleta desse tipo. Seja lembrado por atitudes nobres, por lutar mais do que abrir a boca para tecer provocações e querer se tornar um cara “polêmico”.

Suas atitudes influenciarão pessoas novas no esporte, e é isso que deve ser lembrado toda vez que pisar num tatame. Você será exemplo para outras pessoas.

Que tipo exemplo você vem dando para as próximas gerações?

 

 


Gostou? Compartilhe com seus amigos!

0

Qual sua reação

Curtir Curtir
0
Curtir
Amei Amei
0
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre a mídia e eventos atuais no jiu-jitsu

log in

reset password

Voltar para
log in