Mulheres pesadas no Jiu Jitsu


O BJJ feminino tem crescido de forma gradual nos últimos anos. Campeãs como  Kyra Gracie e Gabi Garcia são cada vez mais conhecidas e suas vitórias continuam inspirando outras mulheres. Ainda existem muitas dificuldades para mulheres no esporte, especialmente em países onde ainda são poucas as que praticam, entre elas ser subestimadas pelos homens nas aulas ou mesmo tentar encontrar outras mulheres para treinar. Para mulheres classificadas em categorias pesos pesados, no entanto, existe ainda mais uma dificuldade, como a luta pelo reconhecimento de suas habilidades e não ser depreciada devido ao seu peso.

Gabi Garcia é, provavelmente, a lutadora de peso pesado mais reconhecida e ela, como muitas mulheres no esporte, é alvo de ridicularização por ser grande, pesada e forte. No vídeo postado em abril de 2015 das semi-finais do Abu Dhabi World Pro, uns dos primeiros comentários do vídeo é: “Eu gostaria de ser um homem forte como a Gabi”. Rodeada de comentários desse tipo que focam, em sua maioria, na parte negativa, Gabi tem encarado suas oponentes com coragem e preparação demonstradas em vários eventos.

Sendo uma menina pesada que treina jiu jitsu, eu já tive que enfrentar comentários e atitudes desse tipo dentro e fora do mundo do jiu jitsu. Os homens frequentemente pensam que sua masculinidade vai ser afetada caso uma “gordinha” esteja no mesmo nível no tatame. O pessoal fora do esporte sabe que treino e supõe que pratico esportes de combate já que sou “moleca” e até mesmo as meninas de categorias de peso menor se negam a fazer técnica comigo alegando que sou pesada demais para elas.

Para falar verdade, a técnica de mulher pesada não depende apenas de ser mais pesada do que as oponentes femininas, nem de usar só força com homens menores do que elas. O grande campeão Saulo Ribeiro disse: “Se você pensar, você se atrasa. Se você se atrasar, você faz força. Se você fizer força, você cansa. Se você cansar, você morre”. Isso é um medo bem real a mulher pesada.

Com um índice de massa corporal geralmente acima da média para mulheres de 24-27 anos, meninas em categorias acima de 74kg tem maior necessidade de oxigênio para reabastecer seus corpos, menores quantidades de energia do que pessoas com menores índices de massa corporal, e uma necessidade de aperfeiçoar cada detalhe de sua técnica para evitar serem traídas pelos seus corpos em alguns movimentos. Sua função no esporte, como a de qualquer atleta, tem desafios específicos e vantagens importantes, mas nem os desafios nem as vantagens são pretextos para duvidar de suas habilidades antes de rolar com elas.

(AUTORA: Lina Salas. Bogotá, Colômbia;
TRADUZIDO POR: Diana Salas)

Qual sua reação

Curtir Curtir
0
Curtir
Amei Amei
0
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 4

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Eu estava bem empolgada com o Jiu-jítsu porém essa coisa de ser uma mulher pesada começou a me encomodar muito no tatame.
    Tinha medo de machucar as outras meninas que treinavam comigo e como sou faixa branca esse risco era maior ainda.

  2. Ontem mesmo rolei “solto” com uma moça de 55 quilos, três graus na faixa branca (eu tenho oitenta quilos, nenhum grau ainda)… Na hora de me dar amasso ela foi com tudo, mas mesmo o sensei dizendo a ela para deixar eu ficar por cima, ela se recusou… bom, dei trabalho para ela do mesmo jeito e o rola acabou nem sendo solto, haha…

Mulheres pesadas no Jiu Jitsu

log in

reset password

Voltar para
log in