Entrevista com Laís Nunes: atleta da Confederação Brasileira de Wrestling


Conversei nessa semana com Laís Nunes, atleta olímpica da CBW (Confederação Brasileira de Wrestling).

Laís iniciou sua carreira em um Projeto Social em sua cidade natal, Barro Alto, interior de Goiás, mas sempre soube que a cidade com pouco mais de 10 mil habitantes era pequena para ela. Mesmo sem entender muito sobre o esporte se apaixonou pela modalidade e logo se destacou. Foi convidada a participar de um projeto de Alto Rendimento em Brasília e ao fim do convênio foi contratada pelo SESI- Osasco.

Laís é primeira atleta brasileira a conseguir medalha de ouro pan-americana nas três categorias etárias internacionais, Cadete (até 17 anos), Júnior (até 20 anos) e sênior (acima de 20). É a mais jovem atleta a defender o país na Luta Olímpica em uma edição de Jogos Olímpicos com apenas 23 anos. E está em vários pódios nacionais e internacionais!

“Eu conheci o Wrestling quando tinha 13 anos de idade, na escola. Na verdade, o professor passou avisando que seria um projeto social de Judô, e eu fiquei interessada, só que ao longo do tempo começou a nos passar luta olímpica. O judô era muito caro para ser social, já a luta podíamos treinar de shorts, descalço no início. Então comecei a treinar, conheci o Rio de Janeiro, primeira cidade fora de Barro Alto interior de Goiás. Fui campeã brasileira e segui treinando. Entrei na Seleção em 2008 onde estou até hoje. Mas treino já há 12 anos em alto rendimento. ”

A atleta treina jiu-jitsu de vez em quando, atualmente na faixa branca. Pratica o Wrestling duas vezes por dia, todos os dias no tapete para treino técnico, um treino sábado, geralmente luta de competição. Entre esses treinos, faz preparação física voltada para a lutas e a alimentação mais regrada para perda de peso. Ela não precisa perder muito na sua categoria, mas se mantém o mais perto possível.

Carreira de atleta de alto rendimento demanda muito sacrifício e treinamento duro. A cobrança por resultados é gigante e há muita pressa por alcançá-los.

A luta olímpica mudou a vida de Laís, trouxe várias oportunidades, uma formação superior e uma vida mais saudável. Ela luta o estilo livre, gosta de pegar pernas, mas também gosta de lutar em cima. Sente muitas dores, mas nunca sofreu nenhuma lesão importante.

Não há premiação nas competições de Wrestling. Desde os 13 anos no esporte olímpico, nunca deixou de treinar e competir. Atualmente está tentando mais um ciclo olímpico até Tóquio 2020. Após Tóquio a atleta pensa na possibilidade de ingressar no MMA.

“Meu sonho é conquistar uma medalha mundial e Olímpica, ainda não alcancei, mas sigo na luta, trabalhando e crendo.”

Laís já treinou muito fora do Brasil, e a diferença é grande em vários aspectos: tradição, estrutura, competição, tudo muito diferente do que encontra por aqui. Bem melhor, mais material humano, então é sempre bom poder fazer intercâmbio e buscar evoluir.

Qual a sua motivação?

“Sou movida por fé, por visões, pelos sonhos que um dia Deus colocou no meu coração. Eu luto primeiro pelo que acredito, pelas pessoas que acreditam em mim, pela minha família. ”

Mulher forte, não teme nenhum desafio. Desde criança tinha muita autoconfiança, mas o esporte a fortaleceu ainda mais.

Laís deixa um conselho para a nova geração de atletas que se inspira em mulheres como ela:

A perseverança é o que vai determinar o seu futuro, e que, qualquer que seja o seu sonho, se você resistir, nos dias bons, nos dias escuros, você chega lá. Precisa apenas aguentar firme até a sua hora chegar.

Nós da Bjj Girls Mag estamos na torcida para que você se torne a número 1 do mundo! Rumo a Tóquio 2020! *

*Atualmente a atleta está na Polônia para a disputa do Mundial.

ENTENDA AS REGRAS:

Estilo livre

No estilo livre masculino é permitido o uso das pernas para defender e atacar. Se um dos atletas conseguir abrir vantagem de 10 pontos, ele será declarado vencedor por superioridade técnica. As categorias olímpicas são 57Kg, 65Kg, 74Kg, 86kg, 97Kg e 125Kg.

As categorias não olímpicas são 61kg, até 70kg, até 79kg, até 92kg.

Wrestling feminino 

A luta feminina é equivalente ao estilo livre masculino. Logo, o uso das pernas para defender e atacar é permitido. É proibido fazer pegadas no cabelo e na altura dos seios. É o único estilo disputado por mulheres e entrou no cronograma olímpico na edição de 2004, em Atenas.  As categorias olímpicas são até 50kg, até 53kg, até 57kg, até 62kg, até 68kg e até 76kg. As categorias não olímpicas são até 55kg, até 59kg, até 65kg, até 72kg.

Confira as conquistas de Laís Nunes:

OURO

  • Panamericano Cadete 2009 até 56 kg
  • Panamericano Junior 2011 e 2012 até 59 kg
  • Copa Brasil Internacional 2015 até 63 kg
  • Panamericano 2016 até 63 kg

PRATA

  • Cerro Pelado Internacional 2016
  • Pré-olímpico das Américas 2016
  • Torneio Internacional de Sassari Itália 2016
  • Panamericano 2014
  • Jogos Sul americanos 2014

BRONZE

  • Panamericano Junior 2010 até 55 kg
  • Grand Prix da Espanha 2011 até 59 kg
  • Panamericano 2012 até 59 kg e 2013 até 63 kg
  • Evento teste para os Jogos Olímpicos do Rio 2016 até 63 kg
  • Canadá Cup 2015 até 63 kg
  • Copa Brasil 2013
  • Dan Kolov e Nikola Petrov 2013

Acompanhe no Instagram: @laiswrestling

Saiba mais em: http://fpwsp.com.br/



Clube de Vantagens BGM

Augusto Haine

Todo lutador de jiu-jitsu precisa preparar o corpo e prevenir lesões com a prática de musculação. Por isso, temos uma parceria irada com a Augusto Haine e você também ganha: 20% de desconto em QUALQUER produto no site. Basta digitar BJJGIRLS na área de compra! https://www.augustohaine.com.br/

augusto haine suplementos

Qual sua reação

Curtir Curtir
1
Curtir
Amei Amei
4
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 1

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entrevista com Laís Nunes: atleta da Confederação Brasileira de Wrestling

log in

reset password

Voltar para
log in