Quando começar a competir?


As pessoas estão no jiu-jitsu pelos mais diversos objetivos. Praticar uma atividade física, ter um estilo de vida saudável, por questões de saúde e também por vontade de seguir uma carreira na arte marcial. Porém, em algum momento da sua trajetória deve surgir a dúvida: vou competir ou não? Com quanto tempo de treino estou pronta(o) para lutar?

Não é fácil tomar essa decisão. A palavra campeonato vem acompanhada da ansiedade, da pressão e o medo de falhar, todo mundo já passou por isso. Claro, algumas pessoas lidam de forma diferente, ficam mais tranquilas, não sentem tanto a questão emocional. Mas, mesmo assim, é difícil sair da sua zona de conforto do treino na academia e se testar em uma competição.

A maioria das pessoas começa a competir ainda na faixa branca, que é uma época em que ainda estamos bem “crus” no jiu-jitsu, por isso as angústias podem ser maiores. Com o tempo, amadurecendo na arte suave e conforme vamos graduando, muita coisa muda. Não que a gente fique experiente e tire tudo de letra, muito pelo contrário, os desafios são outros, diferentes dos que quando somos iniciantes.

Então, como superar esse medo e decidir lutar, mesmo ainda na faixa branca? É importante lembrar que essa não é uma decisão que você toma sozinho(a). Geralmente, mestre e professores vão avaliar seu desempenho, acompanhar sua evolução e te ajudar nesse caminho. Muita gente pensa “nossa, mas ainda não estou preparado(a)”, mas é essencial confiar nos seus professores. Se eles disseram que é a hora, confie. Isso não significa que você vai chegar lá e ganhar de todo mundo. Mas você atingiu o ponto em que está pronto(a) para encarar esse desafio.

Uma vez que a gente já sabe que vai competir, várias dúvidas e apreensões surgem. Como vou começar a luta? Será que meu kimono vai passar? O que será que a outra pessoa vai fazer na luta? Mas não deixe essas coisas te consumirem a ponto de te afetarem, pois ter essas dúvidas é normal, ficar com nervoso é normal.

Algo que pode ajudar bastante é ir antes aos campeonatos para ver como funciona. Mesmo que não vá lutar, você já vai sentir um pouquinho daquela adrenalina e friozinho na barriga. Terá a oportunidade de observar suas parceiras e parceiros de treino competindo, ver como a galera se comporta, como é a dinâmica de uma competição (área de concentração, chamada, postura no dojô, documentação).

Se você já sentiu o clima uma vez e já se informou sobre todas as regras, fica um pouco mais fácil chegar lá no dia de lutar. Afinal, ter o kimono barrado e não lutar por causa disso é péssimo, né? Então, informe-se de todas as normas, veja o que é necessário para competir, como carteirinha, kimono/faixa em perfeito estado, unhas cortadas, uniforme que pode ou não usar por baixo do kimono, categoria de peso. É essencial pesquisar e ter muita atenção a tudo isso. Mesmo com o nervosismo, pelo menos essa parte você sabe que não será uma preocupação.

Mas com quanto tempo de treino estaremos preparados para encarar esse desafio? Não existe um tempo certo, uma regra. A maioria das pessoas sente, mesmo treinando bem na academia, que não está preparada ainda. É muito difícil ter essa percepção, ainda mais quando somos tão inexperientes no jiu-jitsu, como foi o caso no meu primeiro campeonato.

Lembra que eu falei para confiarmos nos nossos professores? Eu competi pela primeira vez com quatro meses de treino, branquinha lisa, sem nenhum grauzinho. Claro que eu não me sentia preparada, mas meu mestre disse para ir e eu fui. Ganhei uma luta e fiquei em segundo lugar. Perdi na final em menos de um minuto, mas no pódio minha felicidade era tanta… Claro, isso serviu de aprendizado para os próximos, tentar ficar mais tranquila, menos afobada nas lutas. Hoje, cada vez vai surgindo um desafio diferente, mas coisas que me deixavam nervosa na branca já não deixam mais, as batalhas são outras.

Ah, mas eu não gosto de lutar. Você já experimentou? É interessante que você vá pelo menos uma vez, até porque vai te ajudar a melhorar nos treinos também. Para muita gente, independente de ser atleta ou não, competir faz parte do treinamento no jiu-jitsu. Ninguém é obrigado, mas se permita tentar. Não tem como não gostar de algo que você nunca fez. Além dos aprendizados para melhorar seu treino, as competições trazem lições que a gente guarda para a vida, seja de uma experiência boa ou ruim.

Portanto, não há um tempo certo para começar a lutar. Confie nos seus professores e se permita tentar. A ansiedade, o medo e as dificuldades são normais, fique tranquila(o), mas você não vai passar por isso sozinha(o). Cabe a você observar outros campeonatos, conversar com professores e colegas de treino, se familiarizar com as regras e treinar bastante. Se fizer isso, pode ter certeza que um grande passo já foi dado. Agora, é dar o seu melhor no tatame. Independente do resultado, vá com o objetivo de fazer o que gosta e se sentir bem. Bons treinos e boas lutas!


Gostou? Compartilhe com seus amigos!

0

Qual sua reação

Curtir Curtir
9
Curtir
Amei Amei
7
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 1

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quando começar a competir?

log in

reset password

Voltar para
log in