Atleta da Semana: Michele Xavier


Nossa atleta da semana de hoje vai nos trazer mais uma lição de superação dentro e fora dos tatames. Essa guerreira, faixa roxa da equipe Saulo Barbosa JJ já tomou algumas “rasteiras” mas, ergueu-se, arrumou seu wagui e continuou e continua no combate, sem submissão. Confira conosco mais uma mulher de fibra, que passa por diversos problemas para se manter firme no esporte. Com vocês, de Mogi das Cruzes – SP, Michele Xavier.

Ela nos contou que iniciou no Jiu-jitsu em 2013, por causa do seu irmão
: No início busquei o jiu-jitsu como uma forma de escape para o que estava passando. Havia acabado de me divorciar e tinha problema com sobrepeso. Uma pessoa desmotivada, tinha uma vida extremamente sedentária. Fui ao médico e também comecei a treinar para tentar perder peso, e deu certo, perdi aproximadamente 40 quilos e consegui enxergar uma pessoa diferente que eu não sabia que existia dentro de mim.

Michele também falou sobre seu jogo e competições
Sou uma passadora nata! (Risos). Prefiro trocar em pé e levar para baixo. Gosto muito de trabalhar as passagens de guarda, um jogo mais explosivo e solto.

Em 2014 fui ao meu primeiro campeonato, onde consegui me consagrar campeã. Fiquei animadíssima e já fui em busca de novas competições. Eu trabalhava e treinava, e quando sobrava um tempo eu lutava nos finais de semana. No fim do ano sofri uma pequena lesão, a primeira. Passei uns dois meses longe dos tatames.

Em 2015 fui graduada a faixa azul, e simplesmente resolvi largar o trabalho, porque queria muito viver do jiu-jitsu. Me filiei e lutei meu primeiro campeonato federado e o primeiro de faixa azul, foi incrível a experiência, infelizmente perdi na semifinal. Continuei lutando alguns campeonatos para tentar ganhar dinheiro, tive algumas lesões nesse período, algumas derrotas, mas também tive bons resultados.

O tempo foi passando, não conseguia viajar pra lutar campeonatos federados e mal dava para pagar as inscrições. A falta de dinheiro começou a incomodar muito e como era nova na arte, nunca consegui suporte e nem ajuda para campeonatos, foi muito difícil, pois é nesse momento que vemos até onde vale para realizar um sonho. Em 2016 já entrei com o pé direito, coloquei na cabeça que iria dar um jeito de realizar meus sonhos, fiz rifas, fazia “bicos”, só pra garantir as inscrições, tirei meu passaporte pois afirmei que daria um jeito de lutar fora. Um sonho.

O sonho foi sabotado

Em fevereiro, lutei a seletiva em Manaus, fui campeã e consegui garantir meu sonho de lutar fora do país. Infelizmente em abril tive a notícia que posso dizer que foi a pior na minha história do jiu-jitsu. A viagem que estava garantida e o sonho que ia ser realizado tinham sido ofuscados por pessoas de má fé. Isso mesmo, o governo do Amazonas junto com a SEJEL (Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer) havia feito algo que impossibilitou a mim e outros atletas de viajarem para os Emirados Árabes. Eles alegaram que entraram com o pedido do visto e que o mesmo havia sido negado e que não íamos mais participar da competição. Hoje tenho uma pessoa que Deus colocou na minha vida e que tem me dado uma grande força, que me garantiu que esse erro do governo do Amazonas, juntamente com a SEJEL, irá ser resolvido. Estou no aguardo.



Superação e luta cotidiana

A minha luta continua, descobri com o jiu-jitsu que eu posso tudo. Se quer, tem que batalhar, descobri que não há limites quando se trata de um sonho.

Hoje, estou tratando de algumas lesões que aconteceram recentemente, correndo atrás para tentar tirar meu visto novamente que já foi negado a primeira vez, arrumando um tempinho e vendendo trufas para investir nos campeonatos. Graças a Deus tenho alguns apoios hoje que tornam parte desse sonho possível. O que eu posso afirmar é que, eu não vou parar, já doeu muito até aqui, já sofri muito também, mas tudo vira recompensa. Quando olho lá atrás e vejo aquela moça com sobrepeso, sem alto estima, incompleta, abatida, sem coragem. Não tem nada nesse mundo que pague isso.

Suas inspirações
Sou fã, apaixonada pelo jiu-jitsu do meu Mestre Saulo Barbosa, minha maior inspiração. Admiro Ana Carolina (Baby), Beatriz Mesquita, Talita Alencar… Jiu-jitsu limpo, simples e muito justo, “porradaria” o tempo todo.

Títulos

Vice Campeã – South America Continental Pro UAEJJF 2018
Campeã – Campeonato Brasileiro CBJJ 2017
Campeã – Seletiva Brazil National Pro 2017 (Passagem pro Word Pro em Abu Dhabi)
2x Campeã – Etapa Paulista 2017
Vice Campeã – BJJ Pro São Paulo 2017
Campeã peso e absoluto – Campeonato Brasileiro CBJJ 2016
Campeã – Curitiba Internacional Open (Gi) 2016
Vice campeã – Curitiba Internacional Open (No Gi) 2016
3º lugar – Campeonato Brasileiro CBJJ 2015
Multicampeã em competições não federadas

Ela nos deixou uma mensagem para quem quer continuar no jiu-jitsu

Independente de qual seja o seu objetivo, trabalhe muito para que ele possa acontecer, confie em Deus, não deixe os fatos guiarem a sua vida e nem que os problemas atrapalhem seu desempenho, por mais difícil que isso seja. Toda vez que se sentir incapaz de realizar algo, lembre-se que Deus é justo e Ele jamais colocaria um sonho em seu coração que fosse impossível de realizar.


Que a Michele ainda tenha muito sucesso e conquistas no jiu-jitsu. Até a próxima entrevista, oss!

Qual sua reação

Curtir Curtir
7
Curtir
Amei Amei
8
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
3
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Atleta da Semana: Michele Xavier

log in

reset password

Voltar para
log in