Postura, o melhor dos aprendizados


Hoje em dia é muito difícil encontrar pessoas que tenham uma filosofia por trás de cada gesto. As pessoas agem conforme os pensamentos da mente ordinária, no entanto, a arte marcial é um meio fabuloso, um mundo onde podemos extrair ensinamento para toda a vida. É no tatame que aprendemos a respeitar, a conhecer os nossos limites e tentar superá-los, onde nos auto afirmamos, conhecendo nossas capacidades e fraquezas.

Ao indagar qual seria a compostura ideal em cima do tatame, podemos afirmar que primeiramente tem que existir um respeito mútuo entre professor e aluno, como também entre todos os alunos entre si e a nível do grupo. Tudo existe um limite, uma fronteira que não se pode ultrapassar.

Nas academias se estabelecem vínculos de amizade e respeito, pessoas que tem traços em sua personalidade desde a timidez à arrogância, da indisciplina à prepotência e encontram na Arte Marcial o equilíbrio nas doses certas. Pois, durante os treinamentos exige-se de cada indivíduo uma singularidade ativa e que muitas vezes vai de encontro a desvios adquiridos em sua personalidade, o que podemos chamar de disfunção, e toda e qualquer disfunção merece e deve ser tratada.

Podemos relacionar também que o tatame é um lugar em que não haverá conflitos egoísticos. A arte suave não é uma briga de rua. Se você está no tatame deverá transcender e purificar as suas reações agressivas, não havendo competição, no entanto, quando ocorre, sempre de forma saudável. Lá você tem de treinar, bater, apanhar e o mais importante: Aprender! O objetivo não consiste em lutar e derrotar um inimigo, mas em lutar e derrotar os próprios instintos agressivos. O poder não está na força física e sim na técnica, flexibilidade, comunicação, inteligência emocional e modéstia. Só batendo e exercitando suas deficiências você vai se tornar um lutador completo (dentro e fora do tatame).

É importante respeitar os ensinamentos e a filosofia, bem como a maneira que os veicula. É necessário não tolerar a insolência. Todos têm que conhecer suas limitações.

O chão do tatame – diferentemente da vida – é macio e nos dá a oportunidade de cairmos diversas vezes sem nos machucar e a tentar não cair novamente, a não incorrer no mesmo erro, a buscar o verdadeiro equilíbrio, para podermos encontrar o caminho que nos levará a vitória; mais que uma simples conquista, nos demostra a evolução física técnica, mental e espiritual; a serenidade que nos acompanha para toda a vida em qualquer atividade que exerçamos.

O equilíbrio dentro do tatame se adquire com o tempo de prática, a evolução adquirida não necessariamente tem a ver com a graduação, apesar que o respeito aos mais graduados é importante, como também dos mais graduados aos menos graduados porém, vemos praticantes de baixa graduação com um nível de equilíbrio muito superior ao de alguns alunos graduados, características adquiridas com as experiências individuais de vida, os caminhos percorridos por cada um e a capacidade inerente de assimilação dos ensinamentos.

Todos os alunos da arte marcial estudam os mesmos princípios. Evita-se os conflitos entre grupos e a escolha de lados. Acate as instruções do mestre e aplique as suas sugestões a fim de treinar sinceramente e tirar o melhor de sua capacidade. No tatame não há lugar para discussões, mas sim olhares compenetrados, atenção às orientações do mestre e o máximo empenho na postura perfeita para desferir os golpes da luta e os de caráter, constituindo assim, um meio de edificar uma sociedade melhor graças ao aperfeiçoamento da índole do indivíduo.

Qual sua reação

Curtir Curtir
4
Curtir
Amei Amei
5
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
4
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postura, o melhor dos aprendizados

log in

reset password

Voltar para
log in