Jiu-jitsu e religião: treinando durante o Ramadã


thumbnail-caption

Para quem treina jiu-itsu não é possível só gostar dele, só curtir. A gente AMA, se apaixona, vira o nosso “estilo de vida”. Mesmo sendo diferente para cada um o jeito de viver esse estilo de vida, o que é certo para todos é que não é fácil organizar todas as outras coisas que já temos construídas e que faziam parte da nossa identidade bem antes do jiu-jitsu, ao redor de treinos, competições, laboratórios, horas de assistir vídeos, seminários, etc. Uns desses aspectos é a religião e, ainda que para alguns o maior problema seja organizar horários de missa, para outros é bem mais complicado, como no caso dos muçulmanos e o Ramadã.

Para quem não conhece, o Ramadã é o nono mês do calendário muçulmano e um dos meses mais sagrados pois é comemorado o momento no qual o profeta Maomé recebeu a primeira revelação do Alcorão. Se acredita que nesse período de 29 ou 30 dias as portas do céu se abrem e as do inferno se fecham, dando espaço para um mês de entrega, sacrifício e oração. Durante o Ramadã é exigido fazer jejum desde o nascer do sol até o ocaso, incluindo a abstinência de comida, álcool e sexo durante o mês todo. Qual é o objetivo? Refletir sobre a sorte que tem aqueles com acesso a comida, motivar o autocontrole e a disciplina para fazer esse tipo de sacrifício, e cultivar a empatia para aqueles menos afortunados.

Como você pode imaginar, os nossos parceiros que participam do Ramadã devem fazer algumas mudanças nas rotinas de treino por causa do jejum, alguns deles decidindo focar nessa época nos drills e repetições, outros simplesmente diminuindo a frequência do treino, e os mais novos até deixando de treinar neste mês. Além disso, eles também devem tomar cuidado com a alimentação pois vai ser muito importante como fonte de energia para o dia, hidratação e recuperação após treinos, e a volta no fim do mês.

Aqui vão alguns dos conselhos mais comuns para essa situação:

  1. Planejar com antecipação: decida desde antes como vai mudar sua rotina. O mais recomendável é treinar de noite, perto da hora do Iftar (quando o jejum termina) para poder se hidratar e recuperar logo. Porém, se na sua academia não há essa opção, treinar cedo também é possível.

  2. Focalize seu treino: tome cuidado com a intensidade e frequência dos treinos. Pela falta de hidratação é bom nesse mês focar nas repetições, os drills, fazer um bom aquecimento, etc. Aqui há algumas rotinas que são possíveis de fazer.

  3. Tome cuidado com a comida: às vezes acontece que nesse tipo de jejum as pessoas cedem à fome e, durante o Iftar, comem tudo o que é oferecido. Neste vídeo, o Rorion Gracie fala da alimentação durante o Ramadã.

O Ramadã é uma oportunidade enorme de pensar e refletir em tudo o que temos mas não agradecemos, de pensar naqueles que não tem tudo isso, e de pensar em quanto damos para eles. Sendo o jiu-jitsu uma arte marcial, envolve muitos princípios e valores que estão também focados em ajudar aos outros e motivar nosso crescimento pessoal. Quais oportunidades você aproveita dentro e fora do tatame para refletir e dar algo para os outros?

Qual sua reação

Curtir Curtir
1
Curtir
Amei Amei
0
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jiu-jitsu e religião: treinando durante o Ramadã

log in

reset password

Voltar para
log in