Setembro amarelo: jiu-jitsu como aliado no tratamento da depressão, segundo a ciência


Estamos no mês de setembro e, junto com o nono mês de nosso calendário, vem a campanha do “Setembro Amarelo”. Nesta campanha vemos um esforço para a de conscientização à prevenção do suicídio. Uma excelente iniciativa pois durante a vida, creio eu, todos perdemos alguém que conhecemos, gostamos ou mesmo amamos desta forma trágica.

Uma das grandes causas do suicídio é a depressão. A definição técnica de depressão é bastante complexa e, mesmo, não há consenso entre os especialistas e estudiosos da área. Neste ano de 2017, especialistas finlandeses explicam que há uma tendência a se abordar a depressão através de sintomas individualizados em vez de se usar a soma de conceituações técnicas. Há, entretanto, sintomas comuns de depressão mais severas tais como: (i) falta de ânimo, (ii) falta de desejo de viver, (iii) falta de motivação, (iv) falta de objetivos, (v) ansiedade exacerbada, (vi) apatia, (vii) falta de prazer, (viii) desinteresse, (ix) incapacidade de se alegrar e outros.

As causas da depressão podem ser as mais variadas possíveis. Então antes de seguirmos com esta coluna fica uma mensagem explícita para os leitores e leitoras:

O jiu-jitsu, assim como outras artes marciais, é sim uma ferramenta fenomenal para combater a depressão, ansiedade e tantos outros distúrbios. Entretanto, não deixe jamais de ter o acompanhamento psicológico e psiquiátrico.

Uma vez que existem muitos mecanismos que levam à depressão, irei focar em um viés bastante específico: ansiedade que leva ao estresse que leva à depressão, sendo que a ansiedade pode levar diretamente à depressão assim como o estresse também. Essa ideia pode ser melhor visualizada graficamente.

Uma das formas de se combater a depressão é através do esporte. E, neste sentido, as artes marciais têm se mostrado ferramentas fantásticas para vencer esta inimiga que muitas vezes nos ataca de forma silenciosa. É importante ressaltar, contudo, que as coisas devem ser feitas com equilíbrio e, o excesso de competitividade no jiu-jitsu, já foi comprovado como uma causa que leva à ansiedade e, portanto, pode levar ao estado depressivo.

Uma vez em estado depressivo, é importante que a pessoa se imponha objetivos. Não estou afirmando que isto é simples, antes ao contrário, pode ser extremamente difícil. Objetivos são, entretanto, muito importantes. Um bom objetivo é a melhora de performance em competições. E sim, tem que ser em competições, pois apenas em treinos não há a comprovação científica da melhora de indicadores fisiológicos. Um estudo realizado com 12 atletas de BJJ na faixa azul (entre 18-27 anos), competindo em nível local, revelou algo realmente interessante. Houve uma melhora nos indicadores bioquímico de glicose, cortisol, lactato e imunoglobina A. Indicadores que comumente são alterados durante um estado depressivo.

Treinar com regularidade também é importante. A chamada “autoeficiência” dos exercícios físicos no combate à depressão também é relatada na literatura técnica. Um estudo de um grupo norueguês mostrou que mesmo em um sessão de exercícios já ocorre uma melhora no humor de uma pessoa depressiva. Um alerta é também feito no mesmo estudo. São necessárias semanas, ou mesmo meses, de treinamento para alteração dos níveis de serotonina no organismo. A serotonina é um dos mediadores químicos responsáveis pelo nosso humor. Desta forma, uma pessoa em estado depressivo deve sim ser estimulada constantemente para que o treinamento tenha efeito mais duradouro no seu estado anímico. Assim, a pratica regular do jiu-jitsu ajuda consideravelmente no caminho de saída da depressão.

O BJJ Girls Mag tem uma preocupação com as suas leitoras e leitores. Outras textos já abordaram o quanto a ansiedade e o estresse podem afetar o seu desempenho na vida e nos tatames. Mas, não treinar e não competir tem efeitos deletérios enormes. A prática esportiva, em especial do jiu-jitsu, é uma das grandes ferramentas que temos disponível para combater o caminho da depressão, estresse e ansiedade. A vida saudável a qual o jiu-jitsu é parte fundamental e não é apenas mais uma coisa agregada, mas é ainda um dos melhores remédios que a ciência reconhece.

Portanto, bons treinos e nunca se entregue!

Oss!

Qual sua reação

Curtir Curtir
15
Curtir
Amei Amei
31
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
1
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 1

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Setembro amarelo: jiu-jitsu como aliado no tratamento da depressão, segundo a ciência

log in

reset password

Voltar para
log in