O “poder” de uma lesão


Você já imaginou o poder que uma lesão tem na vida de um atleta, lutador ou qualquer um de nós? Na verdade, normalmente não pensamos nisso até que aconteça. Infelizmente, em qualquer esporte, a lesão é um “fantasma” que assombra a todos nós. Calma, esse texto não é para te deixar nervosa(o), muito menos para desejar que você se machuque. A ideia é mostrar que isso pode acontecer sim, acontece e é tão normal que devemos espantar sentimentos de negatividade, afinal estamos todos na chuva para se molhar.

Há alguns meses tive a minha primeira lesão séria e precisei de cirurgia. No início não é nada fácil e é normal, precisamos mesmo de tempo para “digerir” a ideia. O objetivo do texto de hoje é trazer um pouco das dicas que me ajudaram e me ajudam nesse processo de reabilitação.

  • Lembre-se que o médico e fisioterapeuta deve ser seu amigo e não um vilão. Não adianta “esconder” uma lesão ou fingir que ela não existe pois acredite, ela não desaparece. Rs
  • Pesquisar e entender sua lesão é fundamental. Se tiver dúvidas, fale com outros profissionais, pesquise e entenda suas limitações. Lembre-se que a recuperação é que define seu retorno.
  • Respeite o tempo de recuperação e tente seguir todo o processo. A recuperação será fundamental pare determinar se você ficará realmente bem para seu retorno. As pesquisas relacionadas a reabilitação de atletas mostram que a reincidência de lesões é mais comum logo após o retorno às atividades, ou seja, todo cuidado é pouco.
  • Não deixe que a lesão tenha poder sobre você. Você deve respeitar os limites físicos que ela impõe, mas não a deixe ocupar também a sua mente de forma negativa. Lembre-se que os obstáculos podem até te atrasar, mas eles não devem te parar.
  • Infelizmente, não podemos controlar tudo. Se pudéssemos não teríamos nos machucado, certo? Quanto mais pensamos naquilo que não controlamos abrimos espaço para a ansiedade e pensamentos negativos.  Que tal nos concentrarmos naquilo que podemos “controlar”? Vamos de exemplo: não podemos controlar o fato de nos lesionarmos. Mas podemos buscar um ortopedista para dar uma segunda opinião, ou podemos marcar logo as sessões de fisio. Enfim, concentre-se naquilo que você pode fazer para melhorar.
  • Visualize sua recuperação e se imagine treinando já recuperado. Nos cercar de pensamentos positivos é sempre bom. A visualização é uma técnica muito utilizada por grandes atletas e pode ajudar você a controlar um pouco da sua ansiedade focar na recuperação.
  • Utilize o tempo fora dos tatames para fazer algo diferente. Seja ligado a luta ou não. Aproveite e tire da cartola um novo hobby ou algum antigo projeto que estava parado por falta de tempo.

Apesar de hoje o esporte estar cada vez mais evoluído, as lesões não desapareceram e provavelmente não irão desaparecer. Se machucar faz parte do nosso meio e é fundamental entendermos que somos humanos e temos limitações bem individuais. Respeite seu corpo para que a resposta dele seja positiva. Se a ideia é lutar por muitos e muitos anos, preservar o nosso corpo é fundamental.

Qual sua reação

Curtir Curtir
1
Curtir
Amei Amei
2
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 1

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Estou me recuperando da minha primeira lesão, quebrei o dedo do pé, e estou parada há mais de 30 dias. A lesão por si só já é bem difícil, ficar longe do tatame e sem treinar também, mas o pior na minha opinião é quando a gente ouve: mas já se machucou? Esse era meu medo! Não é melhor mudar de esporte não?
    Minha resposta é sempre a mesma: Não.
    Não vou desistir do jiu-jitsu nunca <3

O “poder” de uma lesão

log in

reset password

Voltar para
log in