Mudança de equipe: creonte ou uma escolha de vida?


Trocar de equipe pode parecer um monstro para muita gente, afinal, se afastar dos amigos e ainda ser chamado de “creonte”, não parece ser algo que as pessoas almejam. Às vezes, mudar de equipe não é algo que podemos escolher, mas às vezes é, e algumas escolhas não podem ser adiadas pelos julgamentos alheios. Às vezes seguir em frente pode ser o melhor caminho para você. Sabemos que vai demorar um tempo até que esse clima “rivalidade” entre equipes caia por terra, e para ajudar nessa desconstrução, vamos falar da palavra “creonte”.

Dizem que o ilustre mestre Carlson Gracie (falecido em 2006, que estaria hoje com 84 anos) foi quem realmente difundiu a expressão “Creonte” no jiu-jitsu. Inspirado em um personagem de novela da década de 70/80, ele se referia aos alunos que falavam mal dos companheiros de treino, não honravam com suas palavras e etc, mas também aos que trocavam de academia ou equipe. Uma das coisas que mais irritava o mestre Carlson Gracie era a ingratidão dos alunos, principalmente os que treinavam sendo bolsistas ou pagando pouco, assistiam todas as aulas e quando ficavam “casca grossa” deixavam sua academia de origem para treinar em outro lugar. Havia uma rivalidade velada, e ir treinar em outra academia era inaceitável.

Hoje em dia muita coisa mudou, e essa rivalidade entre equipes já não é tão forte, pois as pessoas perceberam que, ainda que essa tradição seja antiga nas artes marciais, a união entre equipes é importante para o crescimento e desenvolvimento do jiu-jitsu.

É importante deixar claro que trocar de equipe não é tão legal quanto parece; mesmo que a gente queira trocar por questões particulares. É desconfortável no começo, às vezes constrangedor, as aulas são diferentes, o aquecimento, o ritmo dos treinos, o nome de algumas finalizações, as pessoas geralmente demoram um tempo para te aceitar. Quem passa por isso faz um tremendo esforço para não desistir e voltar na próxima aula. Algumas academias possuem seu próprio kimono, sua própria rashguard, e muitas vezes é necessário comprá-los para poder treinar.

Quando se muda de equipe deixamos pra trás uma história que foi construída, cheia de lembranças e momentos, bons e ruins, e que não queremos que sejam apagados. Como em uma família, muitas pessoas saem de casa, e por questões particulares vão morar sozinhos, com avós, tios, até em outros países e não são chamados filhos pródigos por isso.

Seria maravilhoso se todo mundo colocasse em prática a empatia, deixando as pessoas exercerem seu direito de ir e vir livremente, e poder voltar se quiserem, visitar os antigos amigos e ser bem recebido, conhecer outras academias, e poder escolher onde quer ficar sem precisar lançar mão de desculpas esfarrapadas ou ficar insatisfeito treinando onde ou com quem não se sente bem. A gente sabe que algumas pessoas mudam de academia e falam mal da equipe anterior, entregam segredos de treino, nesses casos concordo com mestre Carlson Gracie, traidores não são bem vindos em lugar nenhum.

No tatame construímos relações fortes, principalmente de amizade, e são elas que nos ajudam a ir além, a não desistir, a procurar estar sempre evoluindo, e essas relações são mantidas dentro e fora do tatame, por isso é importante que elas continuem, mesmo com a distância, quando amigos não estão na mesma equipe. Muitos casais treinam em academias diferentes, e se encontram em suas respectivas academias sem problema algum.

Muitas vezes na correria da vida, a gente precisa escolher pelo nosso bem estar, precisamos rever prioridades, e muitas vezes não dá pra explicar todos os motivos que te levaram a ir embora, mas mesmo assim é preciso escolher. O que a gente realmente leva na mala são as palavras de carinho, as lições aprendidas no esporte e que levamos para a vida .O jiu-jitsu brasileiro é um só, e precisamos estar juntos para fazer o esporte crescer casa vez mais, não importa onde você está, mas sim o quanto você dá de si mesmo em prol dos próprios sonhos. Acredite em você, supere-se todos os dias, e saiba que não existe academia perfeita, perfeito é estar feliz.

Bons treinos e até a próxima!

 

Qual sua reação

Curtir Curtir
11
Curtir
Amei Amei
4
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
2
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mudança de equipe: creonte ou uma escolha de vida?

log in

reset password

Voltar para
log in