Red days: dica!


Hoje o texto é exclusivo para as meninas e não se aplica somente às praticantes da arte suave. Mulheres têm esses dias abençoados a cada período, que podemos dizer mensal, apesar de variar bastante de uma para outra. Os dias vermelhos duram mais para umas que para outras, pelo que observo com as meninas que convivo, em média, de 3 a 8 dias.

Já li vários artigos falando sobre a TPM e a atividade física. Gente, TPM é um saco mesmo! A gente fica se sentindo fraca, cansada, tem umas dores muito chatas. É o Ó do borogodó! Mas sobre a parte da menstruação na prática não vejo muito conteúdo. Convenhamos, é um porre ficar preocupada com absorvente, se está marcado, se vai vazar.

Por isso, neste texto eu trago uma dica, que para mim tem funcionado muito nesses “red days”.

É fato que durante a TPM e a menstruação não dá vontade de fazer nada além de ficar sentada/deitada assistindo filme e comendo besteira, mas não dá né, meninas?! Primeiro porque precisamos evoluir nosso jiu-jitsu e segundo porque a atividade física provoca a liberação de substâncias que ajudam a melhorar nosso humor durante esse período.

Então, o que fazer? Tem que ir treinar! Mas e se eu for treinar e vazar? Afinal de contas, no jiu-jitsu, nossas pernas vão se mover de forma frenética em vários momentos, sem contar nossos berimbolos que nos colocam de cabeça para baixo, e ainda tem os colegas que gostam de fazer aquelas passagens de guarda emborcando, entre várias outras posições que não favorecem a absorção.

Meninas, pode ser que dê uma vergonhinha de falar desses assuntos, mas é necessário. Sobre os absorventes externos, aqueles tradicionais com abas, ou sem, alguma de vocês usa para treinar? Eu não consigo imaginar. Fico pensando que deve ser muito difícil ele ficar no lugar na hora que começam os rolas.

Eu usava absorvente interno, mas não gostava muito, incomodava um pouco. Sem contar que ele retira a umidade toda do local, o que não é legal. Outras desvantagens desse tipo de absorvente é que precisa ser trocado com regularidade, e para quem tem fluxo alto, não serve! Mas para treinar era melhor opção que os absorventes externos, pelo menos ele não ia ficar se movendo à medida que eu treinava.

Isso perdurou por muitos anos até que no meio do ano passado eu descobri o coletor, ou como muitas das usuárias chamam: “o copinho”. Ele é um objeto que tem um formato parecido com uma taça, produzido de silicone cirúrgico.

Mas como funciona esse tal de coletor? Então, ele é flexível. Existe um tamanho e um nível de flexibilidade para cada tipo de mulher. Você tem que dobrá-lo e colocar como se fosse um absorvente interno. Dentro do canal ele se abre e forma um vácuo. Ali ele fica retendo todo o fluxo e de tempos em tempos você tira, descarta o fluxo, lava e coloca ele de novo.

Quais as vantagens?

  • Ele é reutilizável. Segundo os fabricantes, um coletor dura em média 5 anos.
  • Ele é produzido em silicone cirúrgico. É um material atóxico que pode ser esterilizado e não favorece a proliferação de microrganismos.
  • Ele pode ser usado por até 12h (nossa!). Segundo os fabricantes, dentro dos limites do fluxo de cada uma, esse é o período máximo que você pode ficar com ele sem trocar (mas eu não indico ficar tanto tempo, só para garantir).
  • Libera todas as movimentações, sem risco de vazamento. Como ele funciona com um vácuo, nada desce, se ele for colocado da maneira correta.

Mas, e as desvantagens?

Então, nada é perfeito, né?! A desvantagem que eu vejo é que precisa de um tempo para aprender a colocar da maneira correta. Tem que aprender e testar as dobras, e as posições de colocação, que vão variar de mulher para mulher. Tem que testar!

Eu não coloco o preço como uma desvantagem, pois um coletor custa em torno de 90 reais. É um investimento, mas se levarmos em consideração o tempo que ele dura e o valor dos absorventes tradicionais, então o preço passa a ser uma vantagem.

Acredito que a única desvantagem dele seja esse tempo de adaptação. Tudo depende de comprar o tipo mais adequado e aprender a colocar corretamente.

Agora, tem uma questão que você deve avaliar antes de investir em um coletor. Existem pessoas que não se sentem confortáveis com o fluxo ou com ter que mexer na região íntima, então se você é uma dessas pessoas, talvez você não consiga se adaptar.

Na minha opinião, que estou usando há quase um ano, só vi vantagens. Eu pesquisei bastante para escolher o meu coletor. Já deixo registrado que para quem treina os modelos “sport” são os mais indicados. Eles são mais rígidos, assim, a força dos músculos pélvicos não impede que ele abra corretamente e forme o vácuo.

Enfim, meninas, eu uso coletor e indico. Foi uma das melhores descobertas que fiz. Sugiro que vocês pesquisem sobre o assunto, existe muito material. No Facebook tem um grupo que se chama Coletores Brasil, lá tem muito conteúdo e tem vídeos e imagens explicando tudo.

Espero que essa dica seja valiosa e ajude a melhorar o treino de vocês durante os “red days”. OSS!

Leia mais sobre o assunto:

Ciclo menstrual: afeta ou não o desempenho no jiu-jitsu?

Menstruação e treino: combina?

Qual sua reação

Curtir Curtir
2
Curtir
Amei Amei
0
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 1

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Eu tive dificuldades com o coletor, e a preocupação com absorvente era a mesma. Como meu fluxo é muitooooo intenso, passei a usar fraldas, isso mesmo, igual a bebê, coloque a fralda e um short bem apertado, e é só festa, não importa a posição que eu chegue, estou totalmente segura que não passarei vexame. (ideia meio louca, mas que funciona).

Red days: dica!

log in

reset password

Voltar para
log in