As faixas do jiu-jitsu: história e significados


Reza a lenda que um novato nas artes marciais ficava incomodado porque seu uniforme não “ficava quieto” em seu corpo durante os treinamentos, então, ele arrumou uma faixa de tecido comum, branca, para segurar seu uniforme e se manteve treinando com este pedaço de tecido por vários anos sem trocá-lo, o que o tornou encardido, quase preto.

Historicamente foi com a criação do judô, por volta de 1880, que Jigoro Kano, um estudioso do jiu-jitsu, mudou o formato das artes marciais ao introduzir, em 1907, a mudança nos uniformes, a faixa e mais tarde um sistema de “recompensa” para os seus alunos, uma vez que este procedimento era feito por meio da entrega de certificados que descreviam o nível do praticante.

Apesar da tão famosa declaração do Grande Mestre Hélio Gracie sobre o uso da faixa, no jiu-jitsu, assim como na maioria das artes de luta, a faixa tem significados que vão além do de simplesmente amarrar o uniforme, tanto que se tornou objeto de cobiça e ganância que faz com que alguns praticantes, infelizmente, burlem os critérios relacionados ao nível do aprendizado e de tempo para as graduações.

Sim, para alguns é sem dúvida uma questão de status ser cada vez mais graduado no jiu-jitsu e embora estes só enxerguem a mudança de faixa pelo viés do ego, outros sabem que há muito mais do que interesses pessoais em cada uma daquelas faixas coloridas e por isso sentem tanto orgulho quando as conquistam por mérito.

Então, vamos entender o significado e o tempo para graduação de cada uma das faixas que hoje vigoram no jiu-jitsu brasileiro, levando em conta a tabela da CBJJ e sem incluir as faixas transversais, tais como a cinza e branca, cinza e preta, etc. Lembramos também que o tempo para cada graduação segue um limite mínimo e que depois disso fica por conta do critério de cada professor.

Branca: esta é a cor que reflete todas as cores e significa que existe a pureza e a inocência do aluno diante do desconhecido e que ele deve manter a mente limpa para absorver os novos aprendizados e a paz interior para enfrentar os desafios vindouros, que não são poucos. A única certeza para esta faixa é que ela está longe de significar “partir do zero”, pois o passo número um foi dado quando o aluno iniciante se dispõe a entrar no tatame e se dedicar ao jiu-jitsu. É a primeira faixa para iniciantes de qualquer idade. Leia mais sobre a faixa branca aqui.

Cinza: os primeiros já passos foram dados e a faixa já começa a “encardir”, tal qual a “lenda do aluno iniciante”. É um pequeno passo para o recém-chegado, mas um grande passo para a sua evolução. Conquista-se esta graduação entre os 04 e os 15 anos de idade.

Amarela: simboliza a luz do sol, um renascer diário, tal qual o amanhecer. Demonstra habilidades acima da faixa branca e da cinza. Conquista-se esta graduação entre os 07 e os 15 anos de idade.

Laranja: é a luz do sol mais forte depois de passadas as primeiras horas do amanhecer. O aluno deve entender que será cada vez mais exigido, como o sol que causa maior sensação de calor com o decorrer do dia. Conquista-se esta graduação entre os 10 e os 15 anos de idade.

Verde: cor da esperança e da tranquilidade, o aluno é comparado a uma semente que deve ser cuidada. É a natureza em plena expansão. Neste nível está entendido que o aluno tem domínio dos movimentos básicos do jiu-jitsu e que está pronto para o estudo de táticas necessárias para a sobrevivência na sua selva interior. Conquista-se esta graduação entre os 13 e os 15 anos de idade.

Azul: é a cor do céu e para onde todos os seres em desenvolvimento crescem, mesmo que jamais o alcancem. É a paz, a segurança e a certeza de que o caminho está correto e deve ser seguido com sabedoria e humildade. Pode significar o nível de maior exigência entre todas as graduações, por isso há muitas desistências, desta forma, exige-se do aluno a resiliência. Conquista-se esta graduação a partir dos 16 anos, após um ano e meio a dois anos de faixa verde ou branca. Leia mais sobre a faixa azul aqui.

Roxa: é a mistura do vermelho com o azul, uma transição brusca para um aluno com aprendizados quase sólidos. O graduado da roxa já pode ser considerado um faixa preta em construção, desde que sejam mantidos os princípios da sabedoria, da resiliência e da humildade. Conquista-se esta graduação a partir dos 16 anos, após dois anos de faixa azul.

Marrom: mistura do vermelho com o preto que significa sólido como a terra, forte como uma rocha. Bases firmes com conhecimentos enraizados que jamais serão perdidos. Conquista-se esta graduação a partir dos 18 anos, após um ano e meio a dois anos de faixa roxa.

Preta: é a mistura de todas as cores. É a ratificação do espírito do guerreiro que nunca desistiu e que soube transpor os desafios com sabedoria, humildade, disciplina, resiliência e amor à arte. O faixa preta pode agora repassar o seu conhecimento e começar a construir o seu legado, pois tem agora a permissão para ser professor. Conquista-se esta graduação a partir dos 19 anos, após um ano na faixa marrom.

Coral (vermelha e preta): junte os significados das faixas vermelha e preta e teremos a essência desta graduação. Conquista-se a coral 31 anos após a faixa preta.

Vermelha: é uma cor primária, pura tal qual o praticante de jiu-jitsu que seguiu em frente sem perder a humildade. É a cor mais quente e representa a vida, a motivação, o fogo intermitente e a paixão pela arte. Alcança-se esta graduação após 55 anos de faixa preta. É dividida entre Faixa Vermelha 9º Grau e Faixa Vermelha 10º Grau, sendo esta última dedicada somente aos patronos do jiu-jitsu (Carlos Gracie, Gastão Gracie, Hélio Gracie, Jorge Gracie e Oswaldo Gracie).

E pra você, qual o significado das faixas de jiu-jitsu?

Qual sua reação

Curtir Curtir
11
Curtir
Amei Amei
7
Amei
Haha Haha
1
Haha
uau uau
7
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 5

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As faixas do jiu-jitsu: história e significados

log in

reset password

Voltar para
log in