Uma supermãe nos tatames


Começar a treinar, ou voltar a treinar após ter filhos, é um dilema! São tantas perguntas que nos surgem na cabeça. Como vou fazer com as crianças? Elas não têm onde ficar! Será que consigo me dedicar aos treinos após ter filhos? Sei que são muitas as perguntas. Hoje apresento a vocês, queridos leitores, a história da Shayne, uma parceira de treino, que é uma mãe dedicada de quatro crianças lindas. A família dela tem um amor em comum: o jiu-jitsu!

Abaixo você confere um bate papo em que a Shayne nos conta um pouco sobre sua história na arte suave.

BJJ Girls Mag: Você pode nos contar sobre como sua família começou a treinar no jiu-jitsu?

Shayne: Tudo começou em um dia frio. Os meus filhos… bem, um em particular, estavam me deixando louca durante todo o inverno. Foi um ano especialmente frio e eu estava procurando algo que pudesse gastar um pouco das energias deles. Eu estava dirigindo por uma rua na minha cidade e vi um sinal em uma academia de jiu-jitsu local. Perguntei ao meu marido se ele sabia o que era. Ele disse que  sabia um pouco por causa do UFC, mas achou que poderia ser uma boa atividade para o meu filho mais velho.

Então, meu filho começou a treinar primeiro e adorou! Eu me sentava para assistir às suas aulas e secretamente eu queria estar lá treinando também. Eu sabia que iria adorar. Nossa quarto filho ainda era muito jovem, então treinar jiu-jitsu me parecia realmente intimidante e simplesmente impossível. Alguns meses mais tarde após a primeira competição do meu filho, minha filha mais velha veio até mim e me disse que ela queria muito começar a treinar também. Eu me senti tão feliz ao ouvir isso! Depois que ela começou, minha amiga e eu estávamos assistindo nossos filhos na aula e ambas acabamos admitido que queríamos muito experimentar. Tivemos a sorte de ter uma aula para mulheres o que fez com que o nosso início no  jiu-jitsu fosse muito mais fácil!

BGM: Há quanto tempo você vem treinando? Você já teve que parar por qualquer motivo?

whatsapp-image-2016-10-06-at-09-30-57-1
(Da esq. para dir.): Remi, Corr, Jet e Finn

Shayne: Meu filho Corr (8) tem treinado há dois anos; minha filha Remi (10), 18 meses. Eu tenho treinado há um pouco mais de um ano, e meu marido treina há quase um ano. Jett (4) vem treinando por cerca de 6 meses, e Finn (2) pensa que é um faixa-preta, ele sempre está presente no tatame. As crianças treinam de três a quatro dias por semana e eu tento treinar de cinco a seis vezes. Já tivemos um dedão do pé quebrado,  uma mão quebrada, mas nenhum de nós teve que parar de treinar por muito tempo.

BGM: Quais são as suas expectativas em sua jornada no jiu-jitsu?

Shayne: Espero que o jiu-jitsu me traga uma vida de felicidade física e mental. Espero que a nossa família continue a treinar juntos e que o jiu-jitsu seja algo que sempre una a nossa família  durante toda a nossa vida.  Meu objetivo para os meus filhos é manter a saúde física e que eles desenvolvam a  autoconfiança que só o treinamento pode proporcionar. Meu objetivo pessoal é ganhar o Mundial Master um dia.

whatsapp-image-2016-10-06-at-09-30-57-2
Finn, de 2 anos de idade (Imagem: Arquivo pessoal)

E eu gostaria de, eventualmente, dar aulas de jiu-jitsu para crianças, porque esse esporte tem sido uma experiência desafiadora e muito gratificante. Todos nós temos um amor comum com o jiu-jitsu e acredito que seja algo que podemos fazer juntos. Os meus filhos sempre me pedem para comprar um tatame para a nossa casa, mas gosto muito das minhas paredes, não quero quebrá-las. Já me sinto ansiosa, daqui a alguns anos os meus filhos “vão passar o carro” em mim, tenho que treinar muito para poder acompanhá-los!

BGM: Como é para você treinar e competir sendo uma mãe super ocupada de quatro filhos?

Shayne: Honestamente, eu ainda estou tentando descobrir isso. Eu tenho a sorte de ter um marido muito compreensivo, ele entende o quão importante o jiu-jitsu é para mim e para minha sanidade. Ele sabe que isso me faz feliz e que me faz ter força de vontade, para melhorar a cada dia. Jiu-jitsu é algo que eu faço por mim!

Existe um equilíbrio entre o treino e a minha rotina familiar, preciso ser muito organizada para fazer as coisas darem certo, nos manter nos tatames requer de nós algum sacrifício e toda uma preparação, faço tudo durante o dia para fazer nossas noites de treinamento correrem sem imprevistos. Muitas vezes eu cozinho nosso jantar durante o dia e faço marmitas para as crianças jantarem na academia, após a aula deles e durante o meu treino. Quando as crianças chegam da escola, eu deixo suas mochilas prontas com os kimonos, o jantar e, se eles tiverem dever de casa, organizo para que eles o façam após a aula de jiu-jitsu. A nossa academia tem um espaço para crianças aguardarem os pais, isso sem dúvidas me ajuda muito. Quando eu eu sinto  que eles precisam de uma pausa da nossa louca rotina, nós temos um dia off e o fazemos sem culpa.

BGM: Alguma dica para as mães que precisam levar seus filhos para a academia para que elas possam treinar?

Shayne: Mais uma vez, eu ainda estou tentando descobrir como fazer isso direito. Mas eu posso dizer duas coisas: Pipoca e Netflix. A primeira vez que trouxe meus filhos para a academia  foi estressante! Agora eles finalmente se acostumaram, digo isso pelos mais novos, pois eles precisam de entretenimento. Os mais velhos me ajudam muito com os mais novos, sempre inventam alguma brincadeira ou caso algum deles esteja de mau humor, eles o acalmam até que a minha aula termine. Quando eu treino durante o dia eu só trago Finn, meu bebê comigo. Ele fica muito tranquilo assistindo seus filmes prediletos no iPad e eu coloco um milhão de lanches na mochila para ele, que – pasmem – come tudo todos os dias! Eu tento sempre colocar brinquedos diferentes na mochila deles para que eles não se sintam entediados.

BGM: Os seus companheiros de treinos se incomodam com a presença das crianças durante as suas aulas?

Shayne: Não! E sou muito grata por isso! Meu maior medo é dos meus filhos interromperem o tempo precioso de treino de outras pessoas. Eu sempre fico pedindo desculpas a eles, crianças são crianças e às vezes as coisas saem de controle, ou eles começam a brincar e a gritar. Às vezes eles me veem rolando e também querem treinar comigo, saem correndo pelo tatame enquanto eu estou rolando. Meu professor e companheiros de equipe são muito legais e sempre levam na brincadeira.

Alguns deles têm filhos e acho que é mais fácil de me compreender, mas eu fico impressionada com os que não tem filhos, pois eles me ajudam muito. Eu sinto que eles aceitam meus filhos e nossa louca e grande família no jiu-jitsu! Já aconteceu algumas vezes, porém, de as crianças estarem muito cansadas e realmente esgotadas, assim, nada fica legal, quando isso acontece, eu me desculpo com meu Mestre e amigos e sigo com as crianças para casa. Prefiro interromper o meu treinamento do que o atrapalhar o aprendizado de todos os outros.

BGM: Como é ir para um campeonato quando a família toda está competindo?

Shayne: Caro, hahaha. Meus filhos mais velhos, Remi e Corr,  e eu somos os únicos que competem… por enquanto. Os dias de campeonato são cansativos, mas nós nos divertimos muito! Meu marido trabalha com neurorradiologia e é muito ocupado. Quando eu tenho sorte, os dias de competição caem em um dia em que ele não está trabalhando. E como ele é o cara, ele toma as rédeas com os dois mais novos. Eu estou geralmente ocupada com os mais velhos os ajudando a se aquecerem e procurando saber onde eles precisam estar. Eu fico tão nervosa por eles, quase morro gritando na hora das lutas. Até o momento em que chega a minha vez, todas as minhas energias foram gastas com as crianças e eu estou pronta, não me sinto mais nervosa ou agitada. Eu amo a energia emocionante dos campeonatos!

Shayne está prestes a disputar seu primeiro grande campeonato, o Charlotte Open, ela tem se dedicado muito, perdeu mais de sete quilos para de inscrever na categoria que queria lutar,  tem sido um exemplo para toda a equipe e nós desejamos que ela se divirta muito e que faça ótimas lutas.

Espero que este bate papo encoraje mães a darem o primeiro passo, se o jiu-jitsu te deixa intrigada ou curiosa, não espere, não guarde para si essa vontade, não perca tempo, o jiu-jitsu é um esporte para todos. Podem haver alguns obstáculos no seu caminho, alguns ajustes deverão ser feitos no seu dia a dia para que vocês se ajustem a nova rotina, mas não desista, com amor e persistência tudo se resolve, o jiu-jitsu fará com que tudo valha a pena!

Qual sua reação

Curtir Curtir
0
Curtir
Amei Amei
0
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 3

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Uma supermãe nos tatames

log in

reset password

Voltar para
log in