Alagoano reúne mais de 100 meninas na III etapa do circuito


No último dia 15 de agosto, foi realizada a III Etapa do Circuito Alagoano de Jiu-Jitsu, em geral caracterizada pelo empenho e crescimento de competidoras. Entre muitas classificações, vitórias e medalhas, quero parabenizar você. Sim! Você que de alguma forma mostrou o quão corajosa é e foi até lá mostrar seu potencial. Se dedicou durante meses e as que não conseguiram medalhas esbanjaram a gratificação da experiência. Experiência essa que alguns classificam como aprendizado. Outros como mais uma vitória de muitas que estão por vir.

Houve de tudo um pouco: ansiedade, tensão, nervosismo, tranquilidade, frio na barriga, rezas, abraços, lágrimas, sorrisos, agradecimentos, broncas, gritos, muitos gritos! Familiares que pareciam mais estar competindo que torcendo. Corações que pulsavam dentro do peito por uma vitória algumas vezes garantida, outras ainda um tanto incerta. Havia aqueles que sabiam bem o quanto treinaram. Por fim, todos exibiam suas medalhas de mérito. As que não apareciam no peito, eram expostas por sorrisos. Por apertos de mão. Por abraços consoladores. Cabelos trançados, presos. Kimono arrumado, faixa segura; elas sabiam, sim! Das inexperientes às mais experientes, elas já eram vencedoras.

Havia mulheres de todas as idades. Algumas pequeninas guerreiras que levavam suas mães à loucura quando entravam no tatame. Havia aquelas de primeira viagem que, apesar de tudo, se mantiveram tranquila (se é que isso era possível). Algumas, encaravam o tatame como seu maior desafio, fixavam seus olhos nele, pareciam “conversar” com ele, na esperança de que, no fundo, ele compreendesse o quão apreensivas estavam. Muitas não faziam ideia do que as aguardavam, outras não imaginavam o quanto de limites iriam superar naquele momento.

Me surpreendi ao ver a quantidade de mulher que havia naquele lugar! Me perguntei de onde surgiram tantas. O pódio tornou-se algo admirável aos meus olhos. Meninas, garotas e mulheres tornavam aquele lugar tão delicado e ao mesmo tempo tão bruto. Não imaginava a sede de competir que lhes arrancaram os medos e dificuldades. Ali, naquele momento, eu via mais que simples donas de casas e estudantes, mães e filhas, crianças e adultas, eu via guerreiras que não se limitavam a quem torcia em pró ou contra sua vitória. Mas que, por fim, se agarram a ideia de vencer e não largaram suas armaduras.

Aqui, exponho todo o meu orgulho às alagoanas que representaram com garra suas academias, seu jiu-jitsu, sua Alagoas.  Meus parabéns às guerreiras no Tatame e na vida!

Oss!

Qual sua reação

Curtir Curtir
0
Curtir
Amei Amei
0
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Alagoano reúne mais de 100 meninas na III etapa do circuito

log in

reset password

Voltar para
log in