O que se espera de um faixa branca de Jiu-Jitsu?


Fala pessoal, tudo bem? Em um dos nossos últimos posts do ano, falamos sobre a postura do faixa azul, pelo fato de muitas meninas terem graduado recentemente. Atendendo à pedidos, hoje falaremos sobre um carinha especial pra toda a equipe: o faixa branca. Boa leitura! 🙂

O faixa branca é, acima de tudo, um iniciante – e por se tratar de um esporte de contato, deve ser tratado de forma especial pelos graduados e demais parceiros de treino, para que ele goste de treinar e também para que ele não se machuque. Em seus primeiros dias pode sentir-se um pouco perdido, afinal não conhece todo mundo e não tem intimidade para perguntar sobre as posições e demais obrigações dentro do tatame. É dever de quem está lá a mais tempo fazer com que se sinta à vontade para perguntar e também para fazer as movimentações. Leva-se tempo para adquirir confiança e segurança nos movimentos, por isso é necessário paciência dos graduados para com ele e também do faixa branca para consigo mesmo. Até que o raciocínio se torne mais rápido, leva-se um pouco de tempo.

Conversamos com alguns graduados e faixas preta, e o que eles pontuaram a respeito foi o seguinte:

Prestar atenção atentamente

Isso vale não só quando o seu professor está passando a posição: vale o tempo todo que estiver no treino. Como está começando, é sua obrigação prestar atenção em tudo o que acontece e buscar absorver o máximo de aprendizado possível, como cumprimentar o dojô, o professor, os graduados, e etc.

Ouvir mais e questionar menos

Todo aluno tem todo o direito de perguntar, porém deve evitar questionar seu professor e os mais graduados sobre a eficácia das posições, afinal quem está ali há mais tempo deve saber um pouco mais do quem quem acabou de chegar.

Disciplina

Assim como qualquer outro aluno dentro do tatame, deve-se evitar chegar atrasado, deve-se evitar “matar” o aquecimento e também fazer as posições quantas vezes forem necessárias. Quando for finalizado e ver que não consegue sair, evite deixar que o orgulho fale mais alto – é só dar os três tapinhas que você não desmaiará e nem terá nenhum membro quebrado. É muito feio também comentar sobre treino com outras pessoas e principalmente se vangloriar de ter ganho qualquer vantagem sobre os graduados. O que acontece no tatame deve ficar no tatame.

Saber a origem do esporte

É importante pesquisar e ler sobre a história do Jiu-Jitsu e quem foram seus percusores, assim como procurar  se atualizar e conhecer os grandes nomes da atualidade de competições na faixa preta (no mínimo). Pra quem compete, é importante saber quem são os destaques na faixa azul, afim de conhecer o jogo deles e se preparar para enfrentá-los num futuro próximo.

Conter a “afobação”

Nos primeiros meses é normal que o atleta fique um tanto “afobado” – o que é absolutamente normal, visto que o Jiu-Jitsu é um esporte em que se exige controle intenso do corpo, respiração e da mente. Procure respirar fundo, controlar a respiração e se acalmar, evitando assim que acabe rapidamente o seu gás e a sua força durante os treinos.

Saber o “arroz com feijão”

Antes de sair procurando mil variações de berimbolo no Youtube, é essencial saber o que mais funciona no esporte e, mais do que isso, saber executar as posições “arroz com feijão” com perfeição, saber se proteger e atacar com eficácia, afinal o Jiu-Jitsu é baseado num jogo de inteligência, equilíbrio e força. Saber ordenar primeiro a mente é essencial.

Posições proibidas (de acordo com as regras da IBJJF)

BASICAMENTE são essas:

  • Pular na guarda;
  • Leg lock;
  • Americana de pé;
  • Mão de vaca;

Vale lembrar que a botinha é permitida para os brancas a partir da categoria juvenil. Bom, fora isso, a regra é clara e vale para todo atleta de Jiu-Jitsu, independente de faixa: treinar, treinar e treinar. Respeito pelo tatame, pelo professor e parceiros de treino também é essencial para que o faixa branca siga tranquilamente sua jornada rumo à faixa azul. Temos aqui também um post bem bacana da nossa colunista Pamella, que fala sobre como se sente o faixa branca em seus primeiros treinos. Acesse: bit.ly/1H71gdk

E você, conhece alguma outra dica bacana que ache importante pontuar aqui?  Vou ficando por aqui e até a próxima 😉

Qual sua reação

Curtir Curtir
8
Curtir
Amei Amei
4
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 16

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    1. Que bom Giselle! Não tem jeito, né? É treino e mais treino, pra gente controlar a respiração e fazer as movimentações com calma. Obrigada pelo contato :))

  1. Sou faixa branca adulto, quero saber se posso dar o tranco no braço, parei de treinar por esses tempos porque eu perguntava de alguns golpes, se podia ou não dalhe, perguntava dos graduados, mas uns diziam que podia e outros que não. Aí fiquei confuso e dei um tempo pra refletir sobre a organização e ajuda entre nós da academia! :/

  2. Oi meninas amei a matéria estou treinando a 3 meses estou adorando meu esposo ja treina a 4 anos e me incentiva muito. Presto muita atenção em tudo que os professores falam e tbm nas dicas das minhas companheiras graduadas. Jiu Jitsu arte suave… Oss

  3. Gostei muito da matéria, é muito comum a falta da devida atenção aos iniciantes e erro grave nas academias. Gostaria somente de pontuar um erro que vale a pena ser corrigido. A botinha é válida sim para faixa branca a partir da categoria Juvenil.

    Parabéns pelas matérias

O que se espera de um faixa branca de Jiu-Jitsu?

log in

reset password

Voltar para
log in