Atleta da Semana – Entrevista exclusiva com Maysa Ladislau


maysa madislau bjj

Oi, gente!

A atleta desta semana é a guerreira Maysa Ladislau, faixa azul da equipe Carioca Team, em Manaus-AM. Mãe de dois meninos, Samuel e Pedro, e estudante de Educação Física, a atual campeã sul-americana de Jiu-Jitsu nos contou um pouco sobre seu início na arte suave e também sobre suas batalhas diárias. Confiram:

 

BJJ GIRLS MAG: QUANDO VOCÊ COMEÇOU A TREINAR JIU JITSU? TEVE ALGUMA MOTIVAÇÃO ESPECIAL?

Maysa:  Iniciei no jiu jitsu em março de 2013. Com a minha separação, meu filho mais velho, Samuel Ladislau, hoje com 10 anos, desenvolveu TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) por organização. Na época, eu estava grávida do caçula Pedro, hoje com 5 anos. E com o passar dos anos ele só piorava, devido à saudade do pai, enfim. Foi aí que resolvi procurar ajuda médica e, na época, os médicos me aconselharam a usar o esporte em paralelo ao tratamento.

Eu achei a ideia ótima, então o matriculei no Jiu-Jitsu, mas com muito medo, pois não sabia nada a respeito, risos. Por medo dele se machucar, acabei me matriculando junto, e me apaixonei perdidamente. Desde então, treinamos e competimos juntos. Sempre que possível estamos juntos no pódio. Tudo aconteceu muito rápido na minha vida e quando me dei conta já estava competindo. Invicta, logo fui graduada em faixa azul. Ano passado (2014) sofri algumas lesões graves que me deixaram de fora de algumas competições importantes.

maysa 3

BJJ GIRLS MAG: E QUAL O SENTIMENTO DE FICAR DE FORA DO TATAME POR LESÕES?

Maysa: Sofro com muitas dores desde que me lesionei e sofro muito por ter que ficar de fora do tatame. O Samuel foi de extrema importância na minha recuperação. Ele me ajudava até a tomar banho. O apoio de minha mãe também foi primordial, apesar dela não gostar de Jiu-Jitsu (risos).

 

BJJ GIRLS MAG: O QUE MUDOU NA SUA VIDA DEPOIS QUE COMEÇOU A TREINAR JIU JITSU?

Maysa: Primeiramente, o Jiu-Jitsu devolveu a alegria e o sorriso do meu filho: hoje ele está totalmente curado do problema que teve. Dentro de casa as coisas mudaram também, toda a nossa rotina de vida. Percebo que depois que comecei a praticar Jiu-Jitsu comecei a mudar minha forma de pensar, de agir, e de viver num modo geral. Pois não é só mais uma “modinha”, é um estilo de vida: somos mais saudáveis, mais alegres, mais corretos. Meu corpo também mudou bastante, e pra melhor (risos). Hoje, aos 35 anos, recebo mais elogios por onde passo. Acho legal! Além disso, ganhei de presente pessoas maravilhosas, amigos mesmo. Pois também tive um momento em que quase entrei em depressão. No início de tudo, era mais para acompanhar o Samuel, mas depois fui levando mais a sério, me profissionalizando, me dedico às competições, mudei a alimentação, durmo cedo, acordo cedo, chego a treinar três vezes por dia, quando necessário.

 

BJJ GIRLS MAG: SOBRE AS COMPETIÇÕES, VOCÊ DISSE QUE COMEÇOU CEDO. COMO FOI VOLTAR A COMPETIR APÓS AS LESÕES?

Maysa: Passei seis meses sem competir. Fraturei a clavícula e rompi ligamentos do joelho em maio de 2014. Inicialmente, ficaria afastada por apenas três meses, mas os parafusos da clavícula foram rejeitados pelo meu organismo, a cirurgia abriu e eu me desesperei, pois queria logo retornar. Num ato de loucura, coloquei luvas que tinha em casa no kit de primeiros socorros, fui para frente do espelho e tirei os parafusos com as próprias mãos.

Duas semanas depois eu já estava treinando. A cirurgia não fechava por causa desse parafuso chato (risos). Voltei aos treinos em novembro de 2014. Esse ano, um mês antes de viajar para competir o sul-americano da CBJJ, eu tive outra lesão. Rompi os ligamentos do outro joelho, caso de cirurgia. Mas como já estava com as passagens em mãos e inscrita, engoli a dor e viajei assim mesmo. Lutei com o joelho inchado, mas graças a Deus, deu tudo certo e consegui me consagrar campeã. Eu tive muita ajuda, remédios, tudo numa corrida contra o tempo para conseguir lutar. A Fafá também me ajudou muito no sul-americano. Nunca vou esquecer os gritos dela lá (risos).

 

BJJ GIRLS MAG: E, DEPOIS DESSE, VAI PARAR PARA CUIDAR DA LESÃO? QUAL O PRÓXIMO OBJETIVO?

Maysa: Sim, vou dar um tempo, fazer a cirurgia do joelho, me recuperar e logo voltar aos treinos. Próximo objetivo é o Campeonato Brasileiro CBJJ 2016. Meu sonho é também disputar o Mundial, mas preciso me cuidar, sabe?! Estou muito lesionada.

 

BJJ GIRLS MAG: NOS CONTE UM POUCO SOBRE SUA EQUIPE, MESTRE, ROTINA DE TREINOS.

Maysa: Bom, pela manhã curso educação física. À tarde, às 16h eu treino a parte física e fortalecimento do joelho e, a noite, treino jiu jitsu. Quando estou em preparação para competições, reino jiu jitsu duas ou três vezes por dia. Tenho uma excelente equipe, a Carioca Team, com professores são excelentes. Todos dispostos a ajudar sempre, corrigir meus erros, puxar minha orelha quando necessário (quase sempre (risos)). Meus parceiros de equipe são mais que irmãos. Me incentivam e me fazem treinar forte, sem pena (risos).

 

BJJ GIRLS MAG: E SEUS PATROCINADORES? QUAIS AS DIFICULDADES PRA CONSEGUIR APOIO?

Maysa: A falta de patrocínio às vezes desestimula bastante. Mas tenho alguns que me ajudam muito e quando preciso viajar, faço uma “maratona” pedindo de todo mundo, faço até campanha no Facebook (risos). Só tenho a agradecer ao Athos Kimonos, à Gráfica Multicon, ao Grupo Dj ao Evandro Jr, à Jungle Nutri, ao Salão MRellys, ao Vereador Fabricio Lima e à Top Life.

BJJ GIRLS MAG: QUAL CATEGORIA VOCÊ COMPETE E QUAIS OS SEUS PRINCIPAIS TÍTULOS?

Maysa: Sou master, faixa azul, peso médio. Alguns dos principais títulos são:

  • Tri Campeã Amazonense;
  • Bi Campeã Copa Luis Neto;
  • Bi Campeã Copa América;
  • Tri Campeã Copa Arthur Neto;
  • Bi Campeã Copa Osvaldo Alves, categoria e absoluto;
  • Campeã Copa Ajuricaba, categoria e absoluto;
  • Bi Campeã Manaus Open, categoria e vice campeã absoluto (2013), campeã absoluto 2015 (IBJJF);
  • Campeã Floripa Open No Gi (IBJJF);
  • Campeã Big Way Fight;
  • Campeã Circuito de Lutas Casadas;
  • Campeã Sul Americana 2015 (IBJJF);

 

BJJ GIRLS MAG: PARA FINALIZARMOS, DESEJA FAZER ALGUMA CONSIDERAÇÃO?

Maysa: Gostaria de deixar meus agradecimentos ao meu mestre Angelo Carioca; aos professores Marcos Andrade, Fonseca e Ricardo Sena; monitores da Carioca Team; a todos os meus parceiros de equipe; minha mãe, Lucilene Ladislau, que cuida dos meus filhos para que eu possa viajar e à dona Arthemis Assis que, além de patrocinadora, é uma grande amiga. Sou grata a vocês também pelo carinho e respeito. Fico feliz e honrada em fazer parte desta história.

Oss!

Qual sua reação

Curtir Curtir
0
Curtir
Amei Amei
0
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Comments 1

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Grande Maysa!!! Casca grossissima da Carioca Team!
    É uma honra poder ser seu parceiro de treino e participar de forma direta de todas as suas conquistas (que também são as nossas conquistas).

    Muito boa a iniciativa do Blog em fazer essa matéria. Confesso que eu não sabia do motivo que te levou à treinar a arte suave.

    EM PRIMEIRA MÃO: PARABÉNS PELA FAIXA ROXA QUE GANHOU NO DIA 11/12/2015. Agora se inicia uma nova jornada de sucesso e maiores desafios. Oss!

Atleta da Semana – Entrevista exclusiva com Maysa Ladislau

log in

reset password

Voltar para
log in