Bianca Basílio e sua carreira no jiu jitsu – entrevista exclusiva


entrevista bianca basilio

Fala pessoal, tudo bem? Tivemos alguns problemas com o domínio nestes últimos dias, mas estamos na ativa novamente. Há algumas semanas atrás estive na academia dos Almeida JJ, da Ryan Gracie, para fazer um treino e uma entrevista com a Bianca Basílio, atleta sinistra que pegou há pouco tempo a faixa marrom. Depois do treino tivemos um bate papo bem bacana, onde ela falou sobre treinos, sua carreira no esporte e seus planos para o futuro.  Esperamos que gostem! Boa leitura 🙂

BJJ GIRLS MAG: Com quantos anos você começou a sua carreira no jiu jitsu?

Bia: Comecei a treinar com 11 para 12 anos, e desde então não parei mais. Meu pai sempre gostou de esporte e sempre me incentivou ao esporte – então já fiz boxe, muay thai, atletismo, ginástica olimpica, enfim… muita coisa, até encontrar o jiu jitsu, e no jiu jitsu tem campeonato todo final de semana, né? Então me apaixonei, pois desde cedo sempre fui muito competitiva.

BJJ GIRLS MAG: Você já sofreu algum tipo de preconceito por lutar jiu jitsu?

Bia: Não, mas sempre recebo algumas indiretinhas, né? Aquelas brincadeiras do tipo “ah, então só porque você luta você acha que pode fazer isso ou aquilo… hahaha” um exemplo: uma pessoa tem alguma birra com você,  não vai com a sua cara e por isso acaba sempre dizendo: “ah, só porque você luta você acha que você é a tal”. Eu sempre lutei, e graças a Deus nunca precisei usar o jiu jitsu para brigar… mas caso precise eu sei me defender, não é mesmo?

BJJ GIRLS MAG: E quais os principais campeonatos que você já ganhou?

Bia: Bom, eu sou tetra campeã mundial nos EUA, no campeonato da California, sendo campeã 2x na azul, 2x na roxa e agora busco também o ouro na marrom e depois na preta e assim por diante.

BJJ GIRLS MAG: Quantas lesões você já teve?

Bia: Para vocês terem uma ideia, eu luto de peso pena, mas desde que voltei do Mundial deste ano eu me lesionei no joelho e subi um pouco de peso, e estou lutando na categorua acima (leve) – eu me machuquei no ano passado do mesmo jeito e no Mundial deste ano, me lesionei novamente por uma movimentação besta, fazendo guarda:  ela puxou minha calça para passar e eu fiz força contrária, levando assim à lesão.

BJJ GIRLS MAG: E você já pensou em ser instrutora de Jiu Jitsu em Dubai?

Bia: Não, hoje em dia não e na verdade eu sei que não serei atleta para sempre, mas enquanto eu puder ser atleta eu serei. Se eu puder ser competidora de jiu jitsu sênior, master, quero sim competir o resto da vida. Fora isso, fui para Abu Dhabi este ano e a cultura é totalmente diferente, e por isso seria muito difícil para mim, então eu não iria.

BJJ GIRLS MAG: E para 2016, quais os planos?

Treinar muito, quero ser, se Deus quiser, (se Deus quiser não, pois Ele me dá tudo para que eu consiga) campeã peso e absoluto em todos os campeonatos que conseguir na faixa marrom: quero ser campeã brasileira, campeã no Mundial da Califórnia, World Pro Abu Dhabi, e todos os Opens. Sei que em Abu Dhabi vai ser muito difícil, pois são lutas de marrom e preta, mas eu vou treinar muito pra isso e tenho fé que vou conseguir.

BJJ GIRLS MAG: E sobre sua rotina de treinos, como é?

A preparação física que eu faço é uma periodização na verdade – o Caio (mestre de Bianca) monta uma preparação especialmente para determinado campeonato, então por exemplo, se nós vamos lutar o Panamericano, ou o Mundial e fazemos essa periodização – então fazemos vários “tiros” nos aparelhos, pra ganhar explosão e força, tiros na ladeira, voltamos, fazemos de novo, e é isso aí. Depois do primeiro semestre, que são os campeonatos mais importantes, começamos a trabalhar hipertrofia, fortalecimento e muito jiu jitsu. Você nunca pode estar fazendo sempre preparação e sempre hipertrofia, tem que ser sempre um ou outro, tem que saber a hora certa de fazer cada um. Fora isso, fazemos de 3 a 4 treinos por dia.

BJJ GIRLS MAG: E como você divide o tempo entre a faculdade e os treinos?

Na verdade agora eu terminei a escola, e estou fazendo educação física na parte da manhã – então eu estudo de manhã, e do meio dia em dia nte, até as 22h30. Então nada mudou, estou desde pequena na mesma rotina, com a diferença que estou fazendo uma graduação agora.

Fora a entrevista, o pessoal da Almeida JJ nos recebeu super bem. É um local tranquilo, com um pessoal muito unido e com um treino duro e bem forte. Vale a pena conhecer. Bom, por hoje é só! Vou ficando por aqui e até a próxima 🙂

Qual sua reação

Curtir Curtir
0
Curtir
Amei Amei
1
Amei
Haha Haha
0
Haha
uau uau
0
uau
Triste Triste
0
Triste
Grr Grr
0
Grr

Bianca Basílio e sua carreira no jiu jitsu – entrevista exclusiva

log in

reset password

Voltar para
log in